Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O telefone chora

segunda-feira, 14 de março de 2016
Era um velho irmão, mas não o mais velho. Tinha sido esquecido pela nova geração. Às vezes, passava o dia todo lembrando do seu tempo de mocidade, onde era sucesso onde quer que passasse.

Imagem: http://pt.123rf.com (Modificações nossas)


Abandonado num canto qualquer de uma mesa, o telefone chorava, e isso não era uma figura de linguagem, era literal. Nenhum técnico poderia explicar como saía água salgada de um objeto velho.

O dono da casa, esperto como era, e pensando em ganhar dinheiro, passou a cobrar 20 dilmas pra quem quisesse ver o telefone chorar. Isso ganhou mídia nacional. Alguns diziam que era milagre; outros, que era armação; mas, sinceramente, só o telefone sabia o que se passava consigo próprio.

E assim, o telefone ficou famoso. Foi convidado por diversas emissoras de TV, mas aceitou apenas participar do Programa do Ratinho. Como ele gostava muito dos testes de DNA e queria conhecer o Xaropinho, foi pro SBT gravar a sua participação.

Ratinho convidou alguns especialistas para ver se de fato o telefone chorava mesmo ou era maracutaia. Mas, num ato que surpreendeu a todos, o telefone voltou a chorar e o que ele disse em seguida comoveu toda a plateia.

Ele disse em terceira pessoa: "o telefone chora, compreende o meu pesar, pra quem dizer te amo, se ela não vem me escutar".

Após a gravação e exibição do programa, o telefone recebeu muitas ligações dos espectadores e ficou muito feliz, pois voltou a ser lembrado por todos.

Moral da história: não julgue um telefone solitário.

Culpa por eu ter escrito isso: Culpa da Mineirinha, da Dilma e da Dany. Mas, principalmente, culpa minha, estou sem inspiração sabe. O blog tava meio parado, desde o dia 10 sem nenhum post, então resolvi escrever. Assim, lembrei dessa música aí que a Mineirinha ama de coração (#sqn) rsrs. A música é boa hein, muito emocionante o final.


Melhor eu parar por aqui. Desculpa aí quem leu rsrs. Até mais!!

Comentário(s)
0 Comentário(s)
Nenhum comentário:
Postar um comentário